A segunda cobertura de Lula

A Lava Jato investiga se a segunda cobertura usada por Lula no edifício Green Hill, em São Bernardo do Campo, foi comprada com dinheiro da Odebrecht.

Diz O Globo:

“Em 20 de dezembro de 2010, Glaucos da Costamarques recebeu R$ 800 mil da DAG Construtora, investigada por ser usada pela Odebrecht para negócios ilícitos. Pouco depois, no início de 2011, Glaucos — que é primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula — comprou o imóvel e passou a alugá-lo formalmente para o ex-presidente”.

O Antagonista tratou do assunto aqui:

ODEBRECHT PAGOU ROBERTO TEIXEIRA E PRIMO DE BUMLAI

Brasil 24.10.16 14:39

A Lava Jato quebrou o sigilo bancário da D.A.G Construtora, que, a mando de Marcelo Odebrecht, adquiriu o imóvel que serviria de sede para o Instituto Lula.

Os investigadores descobriram repasses a Roberto Teixeira e Glaucos da Costamarques, primo de José Carlos Bumlai e proprietário formal da cobertura vizinha à de Lula, no prédio de São Bernardo do Campo.

Teixeira, compadre, advogado e laranja de Lula, recebeu cerca de R$ 220 mil. Costamarques, por sua vez, obteve R$ 800 mil.

Faça o primeiro comentário