A Semana em 5 Pontos: Congresso sob nova direção (em tese)

A Semana em 5 Pontos: Congresso sob nova direção (em tese)
Arte: Matheus Castro

Diego Amorim, também em vídeo (assista abaixo), nos conta o que podemos esperar desta semana, em cinco pontos:

1) Eleição na Câmara

Hoje, os deputados escolherão quem será o presidente da Câmara pelos próximos dois anos.

Os principais candidatos são Arthur Lira (Progressistas) e Baleia Rossi (MDB), sendo o primeiro o favorito na disputa.

Lira é o candidato oficial de Jair Bolsonaro. Ontem à noite, o DEM de Rodrigo Maia acabou liberando a bancada, que, formalmente, estava com Baleia.

Para ser eleito, serão necessários, pelo menos, 257 votos.

2) Eleição no Senado

A sucessão de Davi Alcolumbre também ocorrerá hoje.

Rodrigo Pacheco (DEM), o candidato oficial do Palácio do Planalto, é o grande favorito. Ele precisa de 41 votos, no mínimo, para ser eleito.

Na reta final, a adversário de Pacheco, Simone Tebet (MDB), acabou sendo rifada pelo seu próprio partido, o que a obrigou a continuar na disputa como candidata avulsa.

Outros três senadores lançaram candidatura somente para “marcar posição”: Major Olimpio (PSL), Jorge Kajuru (Cidadania) e Lasier Martins (Podemos).

3) A volta do Judiciário

Termina hoje o recesso nos tribunais superiores.

No STF, Luiz Fux comanda a solenidade de reabertura dos trabalhos, com as presenças de Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e Augusto Aras.

Durante a semana, o julgamento mais relevante, marcado para quarta-feira, envolve o chamado “direito ao esquecimento”. O processo discute a possibilidade de veículos de comunicação serem obrigados a retirar da internet informações de pessoas envolvidas em crimes no passado, pelos quais já tenham cumprido a pena ou sido absolvidas.

4) A agenda em Brasília

No Congresso sob nova direção, vamos acompanhar se as vitórias dos candidatos do Planalto vão se confirmar.

O retorno dos parlamentares a Brasília pode intensificar ainda mais a pressão pela abertura de um processo de impeachment de Jair Bolsonaro.

Enquanto isso, deputados e senadores terão a missão de avançar com a agenda reformista e aprovar projetos em meio ao agravamento da pandemia da Covid-19.

No Judiciário, há a expectativa de que, neste mês ou em março, Gilmar Mendes coloque em julgamento na Segunda Turma do STF a suspeição de Sergio Moro nos processos contra Lula na Lava Jato.

Atenções também voltadas para Ricardo Lewandowski, relator de ações que cobram maior empenho do Ministério da Saúde na pandemia e também da investigação sobre Eduardo Pazuello.

5) Vacinas para todos

Em meio ao turbilhão político em Brasília, o que importa continuará sendo a cobrança para que o poder público garanta, o quanto antes, vacinas necessárias para enfrentarmos a pandemia.

Alguns estados devem iniciar nesta semana uma nova etapa da campanha de vacinação, imunizando idosos acima de 80 anos.

Também deve chegar nesta semana o carregamento de insumos chineses para que o país avance com a produção de vacinas. Sem vacinação em massa, a variante de Manaus do novo coronavírus vai se espalhando e tornando a situação ainda mais complicada, sobretudo em estados do Norte.

Bom dia e boa semana.

Diego Amorim e equipe

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
TOPO