"À semelhança da ditadura chavista"

“À semelhança da ditadura chavista”
Foto: Carolina Antunes/PR

“É inevitável a antecipação da campanha para as eleições presidenciais de 2022”, diz Almir Pazzianotto.

“Não subestimem o capitão. Apesar de autoritário e rústico é esperto. Em seus planos deve estar o de filiação a legenda inexpressiva. Precisará apenas da legenda. Recursos e adesões serão obtidos pelo exercício abusivo do poder. Terá o apoio da ultradireita conservadora. Em cada quartel, clube de tiro e loja de armas encontrará aguerrido comitê eleitoral (…).

Há em curso projeto de permanência no poder a qualquer preço. À semelhança da ditadura chavista, tudo será feito para repetir o regime militar, desta vez com segunda eleição. Fica a advertência.”

Leia mais: Crusoé traz os bastidores da disputa de João Doria e Luciano Huck para a eleição de 2022.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO