A síntese dos depoimentos sobre Bumlai

A força-tarefa da Lava Jato comparou os relatos de três colaboradores (Eduardo Musa, Fernando Baiano e Salim Schahin), além dos depoimentos de Sandro Tordin e Marcos Valério. Chegou-se ao seguinte:

– que o Banco Schahin concedeu, em 2004, empréstimo de cerca de doze milhões de reais a José Carlos Bumlai e que tinha por destinatário final o Partido dos Trabalhadores;

– que o destino imediato dos recursos recebidos por José Carlos Bumlai foi o Frigorífico Bertin;

– que o empréstimo não foi pago, total ou parcialmente, e foi sucessivamente transferido para a empresa Agro Caieras do próprio José Carlos Bumlai e securitizado junto à Companhia Securitizadora do Grupo Schahin;

– que o empréstimo foi quitado fraudulentamente, em 2009, mediante a contratação da Schahin pela Petrobras para operação do Navio-sonda Vitoria;

– que, para justificar formalmente a quitação, foi simulada doação em pagamento de embriões de gado inexistentes de fato;

– que o Grupo Schahin também pagou propina aos dirigentes da Petrobrás envolvidos na negociação, entre eles Eduardo Costa Vaz Musa, gerente da Área Internacional da Petrobrás;

– que participaram dos fatos, em diferentes fases, como representantes do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares e João Vaccari Neto.