A 'sórdida armação' de Alcolumbre para emplacar a mulher no Sebrae

A sórdida armação de Alcolumbre para emplacar a mulher no Sebrae
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O empresário Iraçu Colares, presidente do Sebrae no Amapá, pediu apoio aos dirigentes nacionais da entidade para barrar uma “sórdida armação jurídica” de Davi Alcolumbre para destitui-lo do cargo e emplacar, em seu lugar, sua mulher, Liana Andrade.

Na semana passada, a juíza Elayne Cantuária, investigada no CNJ por causa da proximidade com o senador, anulou a eleição de Iraçu, ocorrida em novembro de 2018.

A chapa de Liana, derrotada na disputa, apresentou a ação à Justiça em fevereiro do ano passado, logo depois que Alcolumbre foi eleito presidente do Senado.

“Entendemos perfeitamente que a política faz parte da nossa entidade, nessa relação com o Poder Público, em todas as esferas, inclusive para a composição das diretorias em todas as UFs e no NA, mas não se pode permitir que forças políticas ajam de maneira sorrateira e ilegal para tentar destituir uma diretoria que foi legalmente eleita”, disse Iraçu em carta ao Sebrae nacional.

“O Amapá está sendo vítima dessa sórdida armação, amanhã certamente poderá ser outra instituição do Sistema S ou os dirigente de qualquer outra UF, basta somente a mudança da presidência do Senado”, disse o empresário.

Ele disse que vai recorrer da decisão.

Alcolumbre teve a candidatura à reeleição na presidência do Senado barrada pelo STF e, na semana passada, seu irmão, Josiel, perdeu a disputa pela prefeitura de Macapá.

Leia mais: Nenhuma outra publicação cobre o STF com a independência, o olhar crítico e as informações de bastidores da Crusoé
Mais notícias
TOPO