A subversão da Lava Jato

Sonia Racy, do Estadão, fez uma entrevista com o criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, obviamente crítico da Lava Jato.

Leiam o seguinte trecho:

Sonia Racy: Já o manifesto dos advogados do último dia 15, que o sr. apoiou, diz que a Lava Jato se transformou “numa Justiça à parte”. O que isso significa?
Mariz de Oliveira: Parece que vivemos, em nossos dias, uma subversão do sistema penal. O Direito Penal não é um direito eminentemente positivo, ele é também garantidor. Ele reconhece a existência de princípios que garantem, ao cidadão, uma pena justa – ou a proclamação de sua inocência. Não houvesse esse garantismo penal, não haveria freios à ação punitiva do Estado. Ele poderia punir, se vingar. Mas não pode. Ele tem de ser o Estado da punição e também o da preservação da dignidade do acusado.

O Antagonista concorda com Mariz de Oliveira: vivemos uma subversão do sistema penal. Agora, com a Lava Jato, ricos e poderosos podem ir para a cadeia.