A sucessão de Bandeira

A sucessão de Bandeira
Reprodução/TV Senado

Rodrigo Pacheco deve decidir nos próximos dias quem vai suceder Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho no importante cargo de secretário-geral da Mesa Diretora do Senado. A Crusoé já contou bem quem é Bandeira aqui.

Bandeira está na função desde 2014, por indicação de Renan Calheiros, e foi sendo reconduzido pelos presidentes da vez, Eunício Oliveira e Davi Alcolumbre.

O Antagonista apurou que Pacheco faz questão de escolher alguém que tenha formação jurídica. Pelo menos cinco nomes estão na mesa do presidente do Senado: Tadeu Fanis, da assessoria técnica da liderança do Podemos; João Marcelo Morais, atual chefe da assessoria jurídica da Secretaria-Geral da Mesa; André Sak, chefe de gabinete do senador Oriovisto Guimarães (Podemos); Sabrina Nascimento, a adjunta de Bandeira; e Gustavo Saboia, assessor da liderança do DEM.

Bandeira, que também é conselheiro do CNMP, despede-se nesta semana do Senado para assumir, por dois anos, uma cadeira no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em cerimônia ontem no Senado, ele se emocionou e disse ter tido o privilégio de viver a história do país de perto.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
TOPO