A trajetória deletéria de Cunha

O editorial do Estadão liquida Eduardo Cunha:

“A suspensão do mandato do deputado Eduardo Cunha e seu consequente afastamento da presidência da Câmara, conforme decidido na manhã de ontem pelo ministro do STF Teori Zavascki, pôs um freio na trajetória deletéria desse político que nunca fez outra coisa senão usar seu profundo conhecimento do Regimento da Câmara e seu poder institucional para auferir ganhos pessoais e escapar da adequada punição pelos delitos que lhe são imputados. Seu notório desprezo pela lei e pela Justiça conspurcava a democracia”.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO