A vertigem econômica de Petra

Telegram

Pedro Fernando Nery, no Estadão, trata do “confuso olhar” da cineasta Petra Costa, diretora de “Democracia em Vertigem”, sobre o desastre econômico do governo de Dilma Rousseff.

“De início, já há um problema factual quanto ao desemprego, consoante com a narrativa de Petra de que o governo inclusivo de Lula e, depois o de Dilma, teriam levado a um golpe (após a presidente ter enfrentado as elites econômicas). Segundo Petra ‘a taxa de desemprego atinge o menor índice da história’ na Era Lula. Com boa vontade, pode-se dizer que a diretora se confundiu: nos governos do PT o desemprego alcança o menor índice da série histórica. Falamos em série histórica quanto à série feita com a mesma metodologia que a pesquisa corrente, o que no caso da atual começa em 2012 (a Pnad Contínua). Antes dela, a mais usada regredia só aos anos 90. Mas tanto nos anos 80 quanto na ditadura militar se identificaram taxas de desemprego menores que as do período de Lula ou Dilma. O IBGE chegou a registrar menos de 3% no governo Sarney em outra versão da Pnad. Outras fontes registraram ainda menos na ocasião do milagre dos anos 70. “, diz Nery.

“O que são mesmo marcas incontestes do áureo período petista são as mínimas históricas nas taxas de pobreza e a queda na desigualdade de consumo”, resume o economista.

Ex-amigo de Lula diz que entregou para o petista gravação com pistas sobre assassinato de Celso Daniel. LEIA AQUI

Sobre a narrativa fajuta do PT — mais uma — de que Dilma caiu porque tentou reduzir os juros, Nery lembra: “A Selic bateu sucessivas mínimas históricas desde Temer, e os bancos projetam juro real próximo de zero neste ano. Os juros transferidos pelo governo por conta da dívida pública caíram de mais de 8% do PIB no último ano de Dilma, para menos de 5% no ano passado. No caso das famílias, o governo Bolsonaro acaba de impor um teto aos juros do cheque especial.”

E mais:

“Mas mesmo Petra não parece botar fé no argumento, e é por isso que sua visão é confusa: a crise ora foi causada pela queda nas commodities e ‘erros econômicos’, ora por ações conspiratórias das elites (com direito a fala de Jean Wyllys). Ora os donos do dinheiro desligaram a economia para estimular o impeachment, ora precisam do impeachment para transferir a conta da crise para os pobres. A trama pelos juros altos também não faz sentido diante daquele que para Petra seria um dos vencedores do golpe: a Bolsa de Valores (a relação é tipicamente a contrária). O leilão recente de Libra, sem interessados, vai de encontro à versão de entrega do petróleo às multinacionais. E o fígado fala mais alto no argumento nonsense de que o mercado financeiro celebrara uma suposta flexibilização do trabalho escravo.”

Comentários

  • VITOR -

    Filmeco v_agabundo feito sob encomenda para mostrar que o PT é bonzinho e não roubou. Só engana os trouxas esquerda-caviar lá de Hollywood...

  • Marli -

    Que chatice ter que analisar esse lixo vermelho!

  • Ruy -

    Parece trabalho de escola de uma emo do Grêmio Estudantil.

Ler 67 comentários