'Abin paralela' na cola do sócio de Renan Bolsonaro

Abin paralela na cola do sócio de Renan Bolsonaro
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Sócio de Renan Bolsonaro, o empresário Allan Lucena estava sendo monitorado por um agente da Polícia Federal lotado na Presidência da República. A informação é do Metrópoles.

Na última terça-feira 16, Lucena percebeu que estava sendo seguido e acionou a Polícia Militar. Ao ser abordado pela PM, o suspeito que estava num automóvel identificou-se como Luiz Felipe Barros Felix.

O jornal diz que Felix está lotado na Abin. No Diário Oficial, consta requisição do agente pela Presidência da República, em 7 de agosto de 2020.

Lucena, também foi  ‘personal trainer’ de Renan Bolsonaro, era até hoje subsecretário de administração da Secretaria de Empreendedorismo do governo do Distrito Federal. Foi exonerado após registrar a queixa referente ao monitoramento na Polícia Civil.

Na segunda-feira, a Polícia Federal abriu inquérito para investigar os negócios de Renan, que envolvem suspeita de tráfico de influência e lavagem de dinheiro.

Logicamente, Allan Lucena será ouvido na investigação. Ao que parece, o Palácio do Planalto está preocupado com o que ele pode contar sobre os negócios do filho do presidente da República.

Leia mais: Como o candidato Artur Lira já se movimenta para escapar da Justiça valendo-se da parceria com Bolsonaro.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO