"Absoluta falta de apreço por regras éticas", diz Bretas sobre empresários condenados

Na condenação a Sérgio Côrtes por corrupção em contratos da Saúde no Rio, Marcelo Bretas não deixou barato para os empresários Miguel Skin e Gustavo Estellita, condenados às maiores penas da sentença,  de 24 anos e 21 anos de prisão, respectivamente.

Acusados de pagar propina de US$ 2,4 milhões ao ex-secretário de Sérgio Cabral, os dois receberam uma dura reprimenda no texto da sentença.

O juiz afirmou que ambos tinham “absoluto poder de discernimento quanto a ilicitude das condutas de corrupção”, o que, segundo ele “aponta para a absoluta falta de apreço por regras éticas e morais”.

“Tinha plenas condições de perceber a gravidade de suas condutas, assim como recusar o seu envolvimento em tais práticas ilícitas . Não obstante, usou sua formação e conhecimento para produzir males sociais”, escreveu Bretas sobre cada um deles na dosimetria da pena.

Urgente: Bretas condena ex-secretário de Cabral a 16 anos por corrupção

COMO ELE VIROU O VICE QUE BOLSONARO QUER. Saiba mais
Mais notícias
TOPO