ACESSE

Acusada de calúnia contra Marielle, desembargadora do RJ vira ré

Telegram

Por unanimidade, a Corte Especial do STJ aceitou queixa-crime da família de Marielle Franco contra a desembargadora Marília Castro Neves, do TJ-RJ, informa O Globo.

Poucos dias depois do assassinato da vereadora do PSOL do Rio, em março do ano passado, Marília escreveu no Facebook que Marielle “estava engajada com bandidos” e “foi eleita pelo Comando Vermelho”.

Com isso, a desembargadora passou à condição de ré. Ela é acusada de calúnia por ter atribuído à vereadora morta a participação em uma organização criminosa.

Redução de pena no STJ é combustível para mais uma narrativa petista. CONFIRA

Comentários

  • Anderson -

    De novo? Aqui, é o poste que mija no cachorro!

  • ADONIS -

    Não será difícil provar que não foi calúnia. Fato é fato.

  • CLÁUDIO -

    O partido de Mariele, psol, é uma organização criminosa mais perigosa que o pcc

Ler 45 comentários