Acusado de esfaquear Bolsonaro disse cumprir 'ordem de Deus', segundo policial

Telegram

Ao ser preso depois de esfaquear Jair Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira teria dito aos policiais que o conduziam estar cumprindo uma “ordem de Deus”.

A informação foi passada por Luís Boundens, presidente da Fenapef (Federação dos Agentes da Polícia Federal), a Malu Gaspar, repórter da revista Piauí.

“Os colegas disseram que ele imediatamente começou a dizer que estava em missão divina, o que levou o pessoal a temer pela integridade psicológica dele”, declarou Boudens.

Como publicamos mais cedo, Oliveira foi filiado ao PSOL de Uberaba entre 2007 e 2014.

Leia mais: o que estão escondendo de você nesta eleição? Clique aqui e descubra

Comentários

  • ANA -

    quem pagou tinha certeza que no ato da facada ele seria linchado pelo povo, 2 coisas deu errado para os mandantes.... Bolsonaro não morreu e o assassino não foi linchado, agora aja advogados.....

  • Mendes -

    Vá contar esta para o bispo,seu assassino criminal. Á sua "LOUCURA" é um ardil para ATENUAR sua pena. Criminal safado. Mudando de assunto,cadê JOSÉ DIRCEU ?????

  • Gruga -

    Zé Deus ops!

Ler 101 comentários