Acusado de guardar armas do PCC teve permissão de colecionador

Acusado pelo Ministério Público de integrar a nova cúpula do PCC, Levi Adriani Felício era responsável por lavar dinheiro e guardar armas para a facção no Paraguai.

Segundo relatório da Polícia Federal, Felício teve certificado de registro como CAC (colecionador, atirador e caçador) junto ao Exército brasileiro, que disse ter cancelado a licença em 2017.

Leia mais: EXCLUSIVO: A APURAÇÃO SOBRE A LIGAÇÃO DO MINISTRO DIAS TOFFOLI COM A ODEBRECHT E A OAS
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 13 comentários
TOPO