Acusado de matar Marielle negociava compra de armas no exterior, diz promotora

Telegram

A promotora Simone Sibílio disse em entrevista à GloboNews que Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle Franco, negociava a compra de armas de empresas “americanas, alemãs, chinesas e inglesas”.

A informação foi obtida nos e-mails de Lessa.

As equipes de Simone trabalham agora para rastrear a origem dos 117 fuzis apreendidos pela Polícia Civil na casa de Alexandre Motta, apontadode agir como laranja de Lessa.

Lava Jato: bombardeio vem de todos os lados. AQUI

“A investigação nos levou ao maior contrabandista de armamento. Essa investigação nos levou a Operação Intocáveis. Como essa pessoa entra com esse armamento? De quem ele compra? Pra quem ele vende? Quem mais está envolvido? Como ele se mantém? Quem vai suceder Ronnie Lessa?”, questionou a procuradora.

Comentários

  • Paulo -

    Alguém imagina que só ele faça isso ? Devem existir centenas de contrabandistas que armam os bandidos no Brasil. Quando acabarem com os milhões de armas ilegais passo a defender o desarmamento.

  • Paulo -

    Tem que ser mantida a integridade física desses senhores cidadãos do Rio de Janeiro, de qualquer forma. São empresários que labutam na área de importações e exportações. É fundamental isso d

  • A. -

    Esquece a vereadora e prende o cara, PARA SEMPRE, por terrorismo! Fim de papo. Próximo...

Ler 94 comentários