Adiada novamente votação do Escola Sem Partido

A votação na Câmara do projeto Escola Sem Partido foi adiada pela segunda vez consecutiva.

Marcos Rogério, presidente da comissão que analisa o projeto, convocou nova reunião para a próxima terça-feira.

A grande imprensa está, é claro, atrasada no episódio do convite de Bolsonaro a Sergio Moro... LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Ué, o STF já não havia decidido q as escolas têm d twr partido, o PT e seus satélites, e q a divergência nesses ambientes pode ser tratada na porrada? Foi o q a Carminha falou. Ou perdi alguma

Ler mais 19 comentários
  1. Ué, o STF já não havia decidido q as escolas têm d twr partido, o PT e seus satélites, e q a divergência nesses ambientes pode ser tratada na porrada? Foi o q a Carminha falou. Ou perdi alguma

  2. Escolas com partido: partidos de extrema direita. Vamos ensinar as crianças brasileiras teorias políticas de extrema direita. Logo os Petralhas vão querer escolas sem partido.Há quem entenda?

    1. Não existem partidos de extrema-direita no Brasil, e nem movimentos irganizados, não passa de terrorismo esquerdopata e desculpa para a choradeira e mimimi.

  3. É perda de tempo e energia esse projeto de lei (PL). Deveria ter sido uma proposta de emenda à constituição (PEC), mudando a própria Constituição. Uma lei poderá ser declarada inconstitucional

  4. a votação é irrelevante. O bolso vai virar o jogo em 2019. Não tem d ensinar porra de ideologia nenhuma em escola, nem de gênero, nem comunista/socialista. A única a ensinar é a democracia/capi

  5. Não adiantará aprovar o projeto de lei, pois o STF pretende julgá-lo inconstitucional. Seria mais produtivo uma emenda constitucional proibindo expressamente ensino ideológico parcial.

    1. O STF já demonstrou que considerará inconstitucional a lei que sair desse projeto. Com uma emenda à própria Carta Magna, seria muito mais difícil uma declaração de inconstitucionalidade.