Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

'Admirável Gado Novo', Piketty e Chico Buarque no Enem que é 'a cara do governo'

Canção de Zé Ramalho e tirinha de Henfil estão entre as referências indiretas na prova ao período da ditadura militar
Admirável Gado Novo, Piketty e Chico Buarque no Enem que é a cara do governo
Foto: Alan Santos/PR

O presidente Bolsonaro disse na segunda passada (15) que as questões do Enem “começam agora a ter a cara do governo”. Na prova aplicada neste domingo (21), uma das questões cita a canção Admirável Gado Novo, de Zé Ramalho.

A questão, na prova de Ciências Humanas, cita um trecho da música e em seguida pergunta: “Qual comportamento coletivo é criticado no trecho da letra da canção lançada em 1979?”. A resposta correta é “passividade social” (o gabarito oficial ainda será divulgado pelo Inep).

A referência à canção e ao ano de 1979 estão entre as poucas na prova ao período da ditadura militar. Desde o começo do governo Bolsonaro, questões sobre seu regime favorito não aparecem no Enem.

A prova de inglês traz o trecho de uma resenha da autobiografia de Michelle Obama. Chico Buarque, cujo diploma do Prêmio Camões o presidente Bolsonaro se recusou a assinar, é citado como autor da canção Sinhá, ao lado de João Bosco. Foi republicada também uma tirinha da personagem Graúna, de Henfil.

Há ainda questões citando o racismo no futebol, a violência em presídios, o aumento da população carcerária e o papel de cientistas Xavante na recuperação de uma área do Cerrado.

Uma outra questão cita um trecho do livro O Capital no Século XXI (2013), do economista francês Thomas Piketty, um dos queridinhos da esquerda contemporânea. Segundo a prova, o argumento apresentado no livro “enfraquece a ideologia do mérito”.

Leia mais:

Prova do Enem não cita Covid, mas inclui questões sobre minorias

“Invisibilidade e registro civil” é o tema da redação do Enem

Ribeiro critica questões do Enem de “guetos ideológicos”

Milton Ribeiro diz que Enem tem a ‘competência, a honestidade e a seriedade’ do governo

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO