Advogado de Temer explora insatisfação popular com acordo da JBS

Michel Temer, em seu discurso sobre a denúncia de Rodrigo Janot, omitiu a mala de propina de Rodrigo Rocha Loures.

O Estadão questionou seu advogado a respeito, mas Antônio Claudio Mariz de Oliveira se limitou a menosprezar a delação de Ricardo Saud e explorar a insatisfação popular com os termos do acordo da PGR com a JBS.

Eis o trecho da entrevista:

No mérito, a acusação era de que o destinatário dos R$ 500 mil na mala de Rocha Loures era o presidente.

Quem disse isso foi o (Ricardo) Saud (executivo da J&F) na delação. E essa delação representa uma das vergonhas nacionais, pelas benesses dadas. O Datafolha fez pesquisa na qual 80% desejam a prisão para esses homens. O conteúdo da delação é suspeito por si só. Uma delação desejada, uma delação, eu não tenho provas, pré-estudada, pré-examinada. Parece que o delator não teria apresentado fatos que houvessem satisfeito os procuradores, mas quando veio com a delação enfocando o presidente da República, aceitaram e deram benesses.”

Faça o primeiro comentário