Advogado investigado ameaça 'acabar com a vida' de Marcelo Bretas

Advogado investigado ameaça acabar com a vida de Marcelo Bretas
Fernando Frazão/Agência Brasil

O diretor da 7ª Vara Federal do Rio e auxiliar direto de Marcelo Bretas, Fernando Pombal, disse à Polícia Federal que, no último dia 10, recebeu uma carta em que o advogado Nythalmar Dias Ferreira Filho disse que “acabaria com a vida pessoal” e com a carreira do juiz da Lava Jato.

Nythalmar é investigado pela suspeita de tentar vender a réus da operação no Rio facilidades junto a Bretas, como penas reduzidas e delações premiadas. Ele foi alvo de busca e apreensão no dia 23 de outubro. O juiz não é investigado no caso.

Em depoimento prestado no último dia 10, Pombal narrou que, no dia 6 de novembro, recebeu no WhatsApp mensagem que dizia que, na operação contra Nythalmar, havia sido apreendido notebook com áudios que comprometeriam Marcelo Bretas.

Depois, uma mulher ligou e, sem se identificar (disse ser “apenas uma colaboradora e preocupada com a Operação Lava Jato”), falou que o áudio era “de uma reunião entre o advogado, o juiz e o MPF acerca de uma delação premiada”.

No dia 10, ele recebeu uma série de fotos no WhatsApp de uma carta, que atribui a Nythalmar, com as ameaças a Bretas.

O advogado escreveu, segundo Pombal, que teria “diversos documentos e arquivos que comprometeriam” o juiz e que ele teria até aquele dia para arquivar o inquérito contra o advogado.

Comunicado, Bretas pediu que as mensagens fossem encaminhadas ao Ministério Público Federal para investigação.

Leia mais: As notas exclusivas da Crusoé são fonte de informação indispensável para entender o que ocorre na capital federal e adjacências.
Mais notícias
TOPO