Advogados do DEM acreditam que Pimentel será afastado

Os autores da ação direta de inconstitucionalidade (ADI) que questionam o aval da Assembleia mineira para a investigação envolvendo Fernando Pimentel no âmbito da Operação Acrônimo respeitam, claro, a divergência aberta pelo ministro Dias Toffoli — que questionou a ADI como instrumento adequado ao caso –, mas estão otimistas em relação ao resultado do julgamento.

Os advogados, que trabalham para o DEM, acreditam que Gilmar Mendes (ausente na sessão de hoje) e o novo ministro Alexandre de Moraes entenderão a ADI como apropriada, levando esse placar para 7 a 4.

Por ora, cinco ministros — Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Marco Aurélio Mello — se posicionaram em relação ao mérito. Se não mudarem de ideia, a opinião deles é de que Pimentel pode, sim, ser investigado sem a autorização da Assembleia.

Os advogados também esperam que o STF decida pelo afastamento imediato do governador quando do recebimento da denúncia pelo STJ.