Aécio: “Acusação genérica”

Aos jornalistas, Aécio afirmou que solicitou à reportagem de Veja dados mais precisos sobre a suposta conta em Nova York, em nome de sua irmã, em que a Odebrecht teria depositado propina.

O senador disse que, mesmo oferecendo uma procuração ao repórter para que acessasse seus dados bancários, a revista não esclareceu de que banco se trataria.

“Mas a resposta não veio. Não existe conta nem em Nova York nem em nenhum outro lugar dos Estados Unidos e do mundo. É difícil se defender de uma coisa genérica”, disse.

Leia também:

ADVOGADO DE BENEDICTO JUNIOR NEGA QUE SEU CLIENTE TENHA CITADO IRMÃ DE AÉCIO EM DELAÇÃO

Faça o primeiro comentário