"Afundaria ainda mais a economia", diz ex-diretor do BC, sobre projeto do empréstimo compulsório

O economista Carlos Eduardo de Freitas criticou o projeto que prevê empréstimo compulsório ao governo de empresas que no ano passado tenham obtido lucro líquido acima de R$ 1 bilhão.

O PL (antigo PR), partido que encabeça o projeto, tenta votar a urgência da matéria ainda hoje na Câmara.

“Esse projeto é um absurdo em matéria de política contracíclica, afundaria ainda mais a economia”, afirmou a O Antagonista Freitas, que foi diretor de Liquidação e Desestatização do Banco Central.

Os deputados do Centrão argumentam que as grandes empresas precisam dar a sua contribuição. Só lembrando que o Centrão não apoiou com essa veemência toda a destinação dos recursos do fundão para o combate à Covid-19.

Leia também: DEM x Bolsonaro
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO