Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Agamenon: Bozo família

"Imagina se o Bozonauro fosse um grande administrador, um workaholic que acorda de madrugada para pegar no "serviço"? Ia ser muito pior!"
Agamenon: Bozo família
Agamenon/O Antagonista

Tem gente que reclama do Jair Bolsonada dizendo que ele não governa. Outros criticam o presidente por não gostar de trabalhar. Mas eu discordo: imagina se o Bozonauro fosse um grande administrador, cercado de pessoas competentes, um workaholic que acorda de madrugada para pegar no “serviço”? Ia ser muito pior!

O “pobrema” (estou escrevendo errado para atrair mais likes e compartilhamentos) é que enquanto o 00 coça o saco até fazer ferida, o pessoal do Congresso está ralando feito louco para acabar com a Lei da Improbidade, substituindo-a pela Lei de Muricy, onde cada um arranja verba para si. Na calada do dia, os parlamentares aprovaram a Lei da Selva, alegando que “matou de Covid, tem que comer”. Também tramita o auxílio-funeral, para enterrar de vez a Lava Jato. E a distribuição gratuita de papel higiênico para os indiciados na Lei da Ficha Limpa.

Mas o que está uma bosta pode piorar, como diz a minha ex-gerente do banco (coitada), que foi mandada embora só porque me aceitou como correntista. Se não fosse a Isaura, minha patroa, que distribui sua quentinha na vizinhança, eu estaria na pindaíba e não na Rua da Amargura,  onde fica estacionado o meu Dodge Dart 73, enferrujado. Eu sou um revoltado ressentido que sofre de alta baixo estima. Para piorar a situação de rua, O Antagonista se recusa a me remunerar pelos meus textos, para que eu não fique mal acostumado e saia por aí gastando tudo em cachaça. Segundo o site paladino da Justiça , o trabalho escravo ainda não foi erradicado do Brasil, e eu, como exemplar vivo desta terrível chaga social, preciso ser preservado a qualquer custo. No caso, custo zero. Por falar nisso, onde estão os ecologistas que não fazem nada para que eu me torne um jornalista autossustentável?

Mas chega de baixo astral, precisamos ter fé no futuro distante para superar o passado presente. Até o Zé do Caixão vai ser ressuscitado, desta vez no cinema americano, quer dizer, cinema “ estadunidense”. Mas para que o maldito cineasta seja digerido pelo público LBTGPQP+, Zé do Caixão agora vai ser transgênero e tocar o terror apenas para apoiar causas identitárias. O filho do Superman também resolveu dar uma virada na carreira e saiu do armário para assumir o seu relacionamento com o filho do Incrível Hulk, e tem mais: quem está cotado para ser o próximo James Bond é a Pablo Vittar.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista de ex-querda.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO