ACESSE

"Agenda anticorrupção fortalece a economia", diz Moro

Telegram

Em live com empresários do grupo Lide do Ceará, Sergio Moro defendeu que a agenda anticorrupção fortalece a economia e a democracia.

“Quando fala da agenda anticorrupção, não fala apenas de justiça. Não é uma visão de justiceiros, de juízes e procuradores como Zorros, mascarados e fazendo justiça. Não tem nada disso. É um trabalho institucional, para fortalecer as instituições brasileiras. Tendo menos corrupção –e acredito que a Lava Jato impulsionou um movimento anticorrupção no Brasil– acaba fortalecendo a nossa economia.”

Para fortalecer a tese, Moro lembrou do caso da compra da refinaria de Pasadena, investigada pela Lava Jato.

“No caso da Petrobras, situações assim foram identificadas. A aquisição de Pasadena, por exemplo, refinaria que você consegue ter justificativas econômicas, mas existem relatos que foi escolhida deliberadamente ultrapassada. O apelido dela era ‘enferrujadinha’, ‘ruivinha’. Tinha interesse em contrato de reforma dessa refinaria, que seria uma nova oportunidade para o pagamento de propina.”

E acrescentou:

“Hoje, se tem muito presente que a corrupção é areia, não é óleo, nas engrenagens da economia. Se reduzirmos a corrupção, e esse foi um trabalho que veio do mensalão, de ato houve condenação. Manda um recado forte: pode praticar corrupção, mas o risco [de condenação] aumenta com essas operações. Isso gera benefícios para a nossa economia, aumentando a produtividade do setor privado e público.”

Leia mais: Moro exclusivo: 'O senhor das moscas'

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 37 comentários