Ainda bem que ele não é desonesto

Muito pitoresca essa história do ministro Raimundo Carreiro, do TCU, com o processo do acordo de leniência da UTC, de Ricardo Pessoa.

Raimundo Carreiro foi delatado por Ricardo Pessoa na Lava Jato. O empreiteiro disse que, por meio de Tiago Cedraz, deu propina de 1 milhão de reais ao ministro. Pois bem, por um capricho da sorte, foi justamente Raimundo Carreiro o sorteado para ficar como relator do processo da leniência da UTC.

Sem se declarar impedido, Raimundo Carreiro ficou com o processo durante 9 meses, sem o conhecimento do Ministério Público de Contas, até ser flagrado agora. Tempo suficiente para um desonesto negociar um cala-boca com Ricardo Pessoa, em troca da salvação da UTC.

Ainda bem que Raimundo Carreiro não é desonesto.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200