Alcolumbre "imune ao controle jurisdicional"

Alcolumbre “imune ao controle jurisdicional”
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Na semana passada, como noticiamos, o Senado apresentou ao STF uma manifestação no âmbito da ação do PTB que questiona a possibilidade de Davi Alcolumbre — e também Rodrigo Maia — se reelegeram na mesma legislatura.

A Constituição e os regimentos internos do Senado e da Câmara vedam essa possibilidade.

Sob a orientação do próprio Alcolumbre, a Advocacia do Senado argumentou que as eleições internas para as Mesas do Parlamento “são assunto interna corporis, imunes ao controle pelo Poder Judiciário”.

O argumento é reforçado em outro momento, quando o Senado afirma que “tais atos estão imunes ao controle jurisdicional”.

E mais — leia aqui a íntegra:

“Especificamente no caso do Poder Legislativo, os interna corporis são, não somente os princípios e regras de processo legislativo, mas também toda a disciplina da vida parlamentar e o funcionamento da própria Casa Legislativa, o que inclui todos os atos praticados em seu âmbito interno, inclusive o processo de escolha dos presidentes e das Mesas das Casas Legislativas que compõem o Congresso Nacional. Tais atos são de apreciação exclusiva por parte da Casa Legislativa.”

Senadores disseram a O Antagonista que, na verdade, é o próprio Alcolumbre quem está tentando ser “imune ao controle jurisdicional”.

Leia mais: Combo O Antagonista+ e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 36 comentários
TOPO