ACESSE

Alcolumbre precisa explicar o motivo da pressa para aprovar o abuso de autoridade

Telegram

É preciso repetir que o projeto que trata do abuso de autoridade, vindo da Câmara após ser completamente desfigurado, chegou ao Senado em 4 de abril de 2017, há mais de dois anos, portanto.

Somente em 14 de dezembro de 2018 foi distribuído, na CCJ, para a primeira relatora, Simone Tebet (MDB).

Em 21 de março deste ano, com Simone já no comando da comissão, o projeto foi redistribuído para o novo relator, Rodrigo Pacheco (DEM).

Pacheco ficou com a matéria durante 83 dias. Na noite da última terça-feira, exatamente dois dias depois dos primeiros vazamentos envolvendo a Lava Jato, o senador recebeu a informação de que o projeto entraria como extrapauta em sessão da CCJ no dia seguinte, por determinação de Davi Alcolumbre, seu correligionário.

O relatório, feito às pressas na noite anterior, segundo o próprio, foi lido na última terça-feira.

Hoje, uma semana depois, sem votação na CCJ, sem apreciação de emendas, sem realização de audiência pública, sem requerimento de urgência, sem nada, Alcolumbre pautou o projeto diretamente no plenário.

Alcolumbre precisa explicar o motivo da pressa.

PF suspeita que invasão do hacker a mensagens de jornalistas da Crusoé tenha sido bancada por interessados em minar a Lava Jato. Confira agora

Comentários

  • Paulo -

    MORO TA CHEGANDO, PERTO DEMAIS, DOS GATOS GORDOS, DESTE PAIS, PENSAN QUE SAO DONOS, DO PAIS, SEMPRE OS MESMOS, POR DECADAS, AGORA, ESTA FAZENDO UM CALA BOCA, PAGAMOS MUITO, POR TAO POUCO.BASTA DE ASNE

  • MARCOS -

    ESSE ESPÍRITO IMUNDO TRAJADO DE PARLAMENTAR QUE PRESIDE O SENADO É AQUI CHAMADO POR VSª EXCREMÊNCIA "RENANZINHO DO AMAPÁ"...

  • Fátima -

    Essa pressa é sinônimo de pressão. Vamos descobrir quantos são os interessados em amordaçar a Lava Jato, sob a batuta do Alcolumbre.

Ler 86 comentários