“A Alerj se transformou numa verdadeira propinolândia”

Foi o que disse o procurador regional da República Carlos Aguiar sobre o total de 54,5 milhões de reais em propinas pagas a deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro desde o segundo mandato de Sérgio Cabral, em 2011, em troca de apoio político na aprovação de projetos do governo estadual.

Eles determinavam, inclusive, o dia e a hora que queriam receber o “mensalinho”, negociado inicialmente pelo próprio Cabral.

Parte do dinheiro foi obtida por meio do sobrepreço de contratos e entregue aos políticos até mesmo na Alerj. Os deputados também faziam loteamento de cargos no Detran.

A grande imprensa está, é claro, atrasada no episódio do convite de Bolsonaro a Sergio Moro... LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 15 comentários
  1. E ainda há quem se preocupe com a imagem do Sérgio Cabral acorrentado! Quando é que vão se interessar na sorte do contribuinte, responsável pela remuneração de honestos e bandidos?

    1. O problema não se cinge ao RJ. O Estado adiposo foi aparelhado para a rapina no País inteiro. A isso se chama cleptocracia, o governo aparelhado por ladrões para locupletar a quadrilha.

    1. Coitado do amestrado pelo jararaca. O que Bolsonaro tem a ver com esse mensalinho? Cada um responde por seus atos. VTNC!