Alerj: sindicância para apurar oficial barrada

Wagner Montes, do PRB, deputado estadual que preside a sessão da Alerj neste momento, informa que determinou abertura de sindicância interna para apurar o episódio em que uma oficial de Justiça foi barrada por seguranças da Assembleia na última sexta-feira, quando a maioria da turma soltou Jorge Picciani e seus comparsas.

Agora vai.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Quando político fala em inquérito, entendam enrolação, coisa para inglês ver…!!!
    POLÍTICO NÃO SERVE PARA NADA, ESTÁ MAIS DO QUE PROVADO!!
    VAMOS GOVERNAR ONLINEMENTE E TER GESTORES DA COISA PÚBLICO (FUNCIONÁRIO DE CARREIRA)SUPERVISIONADO PELO POVO E POR REPRESENTANTES ELEITOS COM VOTO DE URNA COM “RECIBO” E NÃO PODENDO SER REELEITO…!!

Ler mais 22 comentários
  1. Quando político fala em inquérito, entendam enrolação, coisa para inglês ver…!!!
    POLÍTICO NÃO SERVE PARA NADA, ESTÁ MAIS DO QUE PROVADO!!
    VAMOS GOVERNAR ONLINEMENTE E TER GESTORES DA COISA PÚBLICO (FUNCIONÁRIO DE CARREIRA)SUPERVISIONADO PELO POVO E POR REPRESENTANTES ELEITOS COM VOTO DE URNA COM “RECIBO” E NÃO PODENDO SER REELEITO…!!

  2. Como falta gente de coragem neste país. Por que o of. de justiça não deu voz de prisão a quem barrou ele? Por que o MP não procura os responsáveis pela “fuga autorizada” para puni-los? Desde o diretor do presídio ate o secretário de segurança, todos devem ser responsabilizados.
    Pergunta: ninguém percebeu que não era legal a soltura de presos sem ordem judicial????

    1. Perfeito , Gasparzinho…!!!!
      Não fazem o que tem que ser feito porque são todos mafiosos, o Estado brasileiro é a máfia…!!!!!

  3. Lá no Rio Grande do Sul assembléia fez a mesma coisa com oficial de justiça que liberava ‘casa do povo’ para o povo assistir votação. Tudo igual. Só pobre vai preso se não receber oficial, daí vem polícia, batalhão de choque, forças armadas . . .

  4. Ninguém mais aguenta aberturas de inquéritos e sindicâncias internas… por acaso ele não sabe quem estava responsável pela “segurança” da Alerj em um dia como aquele?
    Por favor…. poupe-nos dessa patacoada… mas muito me admira a justiça estadual não tomar uma atitude contra o presidente da Alerj por essa desobediência gritante… uma afronta ao poder judiciário!