Alexandre de Moraes veta transferência de presos a estados de origem

O ministro Alexandre de Moraes acompanhou parecer de Raquel Dodge e rejeitou a transferência de presidiários a seus estados de origem.

O pedido foi feito pela Defensoria Pública da União, alegando que o cumprimento de pena em presídios federais tem tempo determinado.

Dodge e Moraes, porém, disseram que não há limite para a renovação desse período. Confira a íntegra da decisão AQUI.

33 comentários

  1. Ganhar mesmo! De verdade:

    MARKETING não tem nada a ver com “garfar a grana”.
    Marketing, publicidade & propaganda faz parte de toda sociedade contemporânea e moderna.
    Sobretudo as sociedades de massa como as nossas.
    É algo estudado, com pesquisa, o marketing é científico.
    Profissional. Nada a ver com improviso, oba-oba, porralouquice.
    E João-o-Milionário-Santana é altamente profissional.
    E PT que não é bobo, sabia e o contratou
    para ganhar mesmo, deu pra compreender?

  2. Ufa! O povo agradece. Ainda tem alguém que acredita que esses crápulas ainda tem chance de ressocializar? Há quantos anos estão no crime? Tinham que mandá-los para um presídio na Lua ou em Marte. Eu vi um documentário sobre uma prisão de segurança máxima na Russia, que seria um sonho para dar de presente para esses chefões do tráfico, estupradores, matadores contumazes,etc. Eles iriam virar até religiosos depois delas..

  3. ato 1) O bode é colocado na sala.
    ato2) O bode é colocado fora da sala
    ato 3) O país tem novo herói thrash. Arre!

  4. Sinceramente, não vou dá parabéns. porque é óbvio que essa questão não era nem pra ser discutida.
    sem cabimento.

  5. Nunca sonhei em dizer isso, mas PARABÉNS AO MINISTRO ALEXANDRE DE MORAES! Na Receita Federal do Brasil, o Auditor-Fiscal José de Jesus Ferreira foi alvo de tentativa de homicídio em dezembro de 2008 por uma quadrilha liderada por o iraniano Farhad Marvizi. Este e seus comparsas estavam presos em presídio federal e “perigavam” retornar ao seu estado de origem (Ceará), de onde, fatalmente, poriam a integridade física do Auditor-Fiscal e de seus familiares em risco iminente. Parabéns à decisão do ministro!

  6. DO MESMO DEFENSOR Anginaldo Vieira
    ELE PEDIU ADIAMENTO DA CPI QUE APURA IRREGULARIDADES NA FUNAI E NO INCRA
    Anginaldo Vieira, da Defensoria Pública da União (DPU), entrou com pedido de habeas corpus, em caráter de liminar.

    http://dc.clicrbs.com.br/sc/noticias/noticia/2017/05/defensor-publico-pede-adiamento-de-cpi-na-camara-que-apura-irregularidades-na-funai-e-no-incra-9789410.html

  7. Muito bem!
    Obrigado, Alexandre de Moraes, o Rio Grande agradece.
    Um juiz gaúcho já estava repatriando 2 perigosos criminosos que tinham deixado o RS, há pouco mais de um mês.

  8. DO MESMO Defensor Público Anginaldo Vieira pediu adiamento de CPI na Câmara que apura irregularidades na Funai e no Incra
    Pedido de adiamento da leitura. No final de semana, o defensor nacional de direitos humanos, Anginaldo Vieira, da Defensoria Pública da União (DPU), entrou com pedido de habeas corpus, em caráter de liminar.

    http://dc.clicrbs.com.br/sc/noticias/noticia/2017/05/defensor-publico-pede-adiamento-de-cpi-na-camara-que-apura-irregularidades-na-funai-e-no-incra-9789410.html

  9. Perguntei isso a ele, no dia 29 de setembro, mas ele nem bola deu. Aliás, isso não é novidade. Afinal, os “deuses” não devem satisfação a reles mortais…

    Exmo. Dr. Carlos Eduardo Barbosa Paz
    D.D Defensor Público-Geral Federal.
    Prezado Senhor,
    Com relação à notícia veiculada pela imprensa no dia 29 de setembro de 2017, de que esta Defensoria pleiteia o retorno de condenados perigosos, que estão em presídios federais, para seus estados de origem, gostaria de saber do porque disso e o que motiva esta Defensoria a tomar tal posicionamento.

  10. Em tempo o Alexandre de Moraes deu ar de sua graça!
    incompreensível essa solicitação da Defensoria Pública da União.
    Se os presídios federais foram concebidos também para isolar os bandidos que ameaçam à sociedade local, qual o motivo de limitar sua permanência longe de casa?

  11. ” O SISTEMA de impunidade é também o promotor dos crimes”.
    ¨¨¨
    ” Devemos aceitar com serenidade as coisas que não podemos modificar, ter coragem para modificar as que podemos e sabedoria para perceber as diferenças.”

    ____ (04 de Outubro- Solenidade ao grande Irmão, S.Francisco de Assis).
    Intercedei a Deus por nós.

    ___SENHOR, fazei de mim um instrumento de Vossa Paz!”

  12. SR DA PAZ, COLOCA CADA UM DELES NA CASA DE VCS. CONTRATA COMO MORDOMO, COPEIRO, SEGURANÇA OU ATÉ MESMO COMO CHURRASQUEIRO.

  13. Parabéns Ministro. Brincadeira de Defensor-Geral que busca meio minuto de fama tem que ser cortada na raiz. Aliás, com aquela gravata borboleta preta que ele mostrou só pode ser um exótico. Tanto quanto o pedido que formulou.

    1. Sam, se for só pelos minutos de fama, tá valendo. Males da pós-modernidade!!! Seria problema mesmo era se o nobre defensor tivesse ganhando – algo mais – por isso: tipo, propina advinda do crime, tráfico…. essas coisinhas.

  14. Os cabides de emprego que devem ser privatizados IMEDIATAMENTE:
    1) CADE e CVM
    2) O BNDES e qualquer outra fonte de financiamento estatal
    3) As agências reguladoras
    4) O Banco central e o COPOM
    5) Petrobras, Furnas, CEF e BB
    6) Cargos em Comissão
    7) Judiciário e Saúde

  15. Ministro Alexandre de Moraes ótima decisão. Senhora Procuradora Geral também agradecemos. E o Ministro ainda ¨ralou¨ a tal defensoria pública da União, pedindo os nomes das autoridades coatoras e respectivos pacientes. Agora sim a verdade virá a tona. Valeu !!

  16. E MAIS DONA DODGE EXIJA MWELHOR INVSTIGAÇAO PARA ESTES PRESOS PQ ESTAO USANDO A CADEIA COM ESCRITORIO E ADVOGADOS COMO POMBO CORREIO.

  17. Tá vendo. O Alexandre Morais toma boas decisões. Será porque que a imprensa fica querendo ridiculariza-lo? Terá alguma coisa haver com o bolivarianismo majoritário na corte?

Comentários temporariamente fechados.
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.