“AMEALHARAM UMA FORTUNA IMENSA”

A força-tarefa da Lava Jato em Curitiba diz que “integrantes da organização criminosa de Sérgio Cabral amealharam e lavaram fortuna imensa, inclusive mediante a aquisição de bens de luxo”.

Ao todo, foram pagos a título de propina R$ 224 milhões.

“O desdobramento das investigações da Operação Lava jato em Curitiba revelou a ocorrência de crimes de corrupção, consistentes no pagamento de vantagens indevidas a Sérgio Cabral, em decorrência do contrato celebrado entre a Andrade Gutierrez e a Petrobras, relativamente às obras de terraplanagem no Comperj.”

Só nessa obra, Cabral embolsou R$ 2,7 milhões entre 2007 e 2011, da Andrade Gutierrez, por meio de “entregas de dinheiro em espécie, realizadas por executivos da empresa” para emissários do então governador.

“Há evidências da prática do crime de lavagem de dinheiro. A investigação apurou, por exemplo, que apenas dois investigados, enter os anos de 2009 e 2015, efetuaram pagamentos em espécie, de diversos produtos e serviços.”

Faça o primeiro comentário