Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Amilton diz que "não conhecia pessoas na Saúde", mas foi recebido 4 horas após e-mail

Em depoimento à CPI da Covid, reverendo diz que foi recebido três vezes no ministério; imagem de evento com Flávio Bolsonaro enfraquece versão
Amilton diz que “não conhecia pessoas na Saúde”, mas foi recebido 4 horas após e-mail
Reprodução

Em depoimento à CPI da Covid, o reverendo Amilton Gomes de Paula afirmou que conseguiu reuniões com a cúpula do Ministério da Saúde apenas enviando emails para a pasta. O primeiro dos três encontros ocorreu apenas quatro horas após pedido por mensagem.

As audiências ocorreram em 22 de fevereiro, 2 e 12 de março.

Ele disse que foi procurado pelo cabo Luiz Paulo Dominguetti em 16 de fevereiro, que lhe disse que teria como fornecer 400 milhões de doses de vacinas. Depois, o reverendo afirmou ter encaminhado um primeiro email, em 18 de fevereiro, para a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde falando sobre a Davati.

Ele recebeu uma resposta do ministério quatro dias depois, em 22 de fevereiro, com pedido de reunião por parte do governo federal. O reverendo mandou novo email às 12h39, sugerindo um horário da reunião. Às 16h30, ele foi recebido pela pasta.

Essa primeira reunião ocorreu com o ex-diretor de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Lauricio Monteiro Cruz.

“Acredito que pela escassez de vacinas, nós fomos recebidos”, disse o reverendo.

O reverendo Amilton disse que, após esse primeiro encontro, foi recebido no Ministério da Saúde em outras duas oportunidades: em 2 e em 12 de março.

Na última reunião, o encontro foi com o então secretário-executivo do Ministério da Saúde Elcio Franco. No encontro, houve a apresentação da oferta de 400 milhões de doses de vacina da Astrazeneca. “A reunião foi muito rápida”, disse o reverendo Amilton.

Assista ao trecho:

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO