Ampliação do seguro-desemprego custaria R$ 16 bi, calcula governo

Ampliação do seguro-desemprego custaria R$ 16 bi, calcula governo

A ampliação do seguro-desemprego em mais duas parcelas aos trabalhadores demitidos durante a pandemia custaria R$ 16,7 bilhões aos cofres públicos.

A conta foi feita pelo Ministério da Economia, segundo o Globo, considerando um total de 6,5 milhões de demitidos desde março.

A medida, que não tem o apoio do governo, foi apresentada pelas centrais sindicais e será votada hoje em reunião do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat).

Apesar do Orçamento de Guerra, o Tesouro Nacional alertou em nota técnica para o agravamento fiscal com a nova despesa.

“A criação de uma despesa de R$ 16 bilhões contribuiria para o agravamento do resultado fiscal e o consequente aumento do endividamento público, o qual já se encontra em níveis bastante elevados em relação aos nossos pares.”

Leia mais: Como governos compram apoio de veículos de comunicação
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 4 comentários
TOPO