Anderson fazia a ligação entre Dilma e empreiteiras

A Istoé desta semana traz uma reportagem sobre Anderson Dorneles, o “menino” de Dilma Rousseff que O Antagonista descobriu ser sócio oculto do RedBar, no estádio do Internacional de Porto Alegre, construído pela Andrade Gutierrez e financiado pelo BNDES.

Além de recontar o que este site já contou — sobre a sociedade no bar e a sua ligação com o advogado Douglas Franzoni, o “menino-satélite” da petista –, a revista apurou um fato importante: “Empreiteiros escreviam email diretamente para Anderson, quando queriam falar com a presidente”.

“O menino” era mais, muito mais do que um office-boy de Dilma Rousseff.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200