“ANDRÉ” É O ELO DA TRIPLO X COM O PETROLÃO

André Luiz de Souza, que avalizou a compra das debêntures que financiaram o Solaris e o Altos do Butantã, foi o pivô da prisão de Marcelo Odebrecht.

Ele é o “André” citado em mensagens de Marcelo com executivos da Odebrecht que mencionam sobrepreço no contrato de operação de sondas da Petrobras.

Foi por causa dessas mensagens que Sérgio Moro mandou prender MO.

A PF achava que “André” era funcionário da empreiteira ou o banqueiro André Esteves, mas a Odebrecht confirmou à Folha, em matéria publicada no ano passado, que o “André” dos e-mails é André Luiz de Souza.

Além da Sscore, que atuou no FGTS, André é dono da Ask Capital, consultoria com atuação na área de petróleo e gás.

Eis o que disse a reportagem: “Essa consultoria, na versão da empreiteira, representava grandes empresas interessadas em se instalar num polo industrial na Bahia ao redor do estaleiro Enseada Paraguaçu, que pertence a Odebrecht, UTC e OAS.”

Quando os e-mails foram escritos, em março de 2011, André ainda fazia parte do comitê de investimentos do FI-FGTS. Ele batalhava para liberar o dinheiro para o estaleiro, mas o negócio miou após a troca de diretoria promovida já no governo Dilma.

Veja mais em:

GOLPE NO FGTS BANCOU SOLARIS

Esquema movimentou R$ 3 bilhões

EMBAIXADOR QUE CAIU DO 11º ANDAR ERA SÓCIO DE OPERADOR DO FGTS

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200