Anexo 9: Joesley prometeu a Temer 5% do lucro de negócio com termoelétrica

Já com Michel Temer na Presidência, Joesley Batista acertou com Rocha Loures o pagamento de 5% sobre o lucro da operação de uma termelétrica, o que renderia ao presidente cerca de R$ 50 milhões, segundo cálculos dos delatores.

A J&F precisava do CADE para quebrar o monopólio da Petrobras. O empresário expôs o problema a Loures, que ligou para Gilvandro Araújo, presidente interino.

“Rodrigo referiu-se a Gilvandro como ‘um dos nossos meninos'”, disse Joesley.

Joesley “conta que ofereceu ainda lançar mais créditos na planilha de Temer à medida que outras intercessões de Temer e Rodrigo em favor do Grupo J&F fossem bem-sucedidas em negócios, tais como energia a longo prazo e destravamento das compensações de crédito de PIS/Confins com débitos de INSS. Rodrigo também aceitou”.

200