Anotação de corretor mostra que Flávio usou rachadinha para quitar imóvel, segundo MP

Anotação de corretor mostra que Flávio usou rachadinha para quitar imóvel, segundo MP
Foto: Adriano Machado/Crusoé

O MP do Rio apresentou à Justiça uma nova prova de que Flávio Bolsonaro usou dinheiro da rachadinha em seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa para quitar a compra de dois apartamentos: uma anotação na agenda do celular do corretor de imóveis Glenn Dillard.

Segundo os promotores do caso, Dillard, que é norte-americano, anotou em sua agenda “Closing at HSBC”. Para eles, seria um indício de que o corretor e Flávio se encontraram para fechar o negócio em uma agência bancária no Centro do Rio.

As informações são de O Globo. Segundo, o jornal, “as investigações já tinham identificado que, no mesmo dia em que a compra dos apartamentos foi registrada em cartório, por R$ 310 mil, Dillard efetuou um depósito de R$ 638 mil em dinheiro vivo em uma agência do HSBC que fica a uma rua do cartório onde foi lavrada a escritura. Para o Ministério Público, o pagamento em espécie feito no momento da escritura foi realizado com dinheiro oriundo do esquema das rachadinhas na Alerj”.

Dillard foi denunciado junto com Flávio no caso da rachadinha.

De acordo com o MP,  “todas essas circunstâncias deixam claro que os valores ilícitos foram entregues ao procurador (Dillard) pelo casal Bolsonaro, ou a seu mando, no interior da agência bancária no dia da assinatura das escrituras de compra e venda dos imóveis, e que o dinheiro em espécie foi depositado juntamente com os cheques”.

Leia mais: Documentos obtidos por Crusoé trazem revelações sobre o caso das rachadinhas que envolve o notório Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro, o filho 01 do presidente
Mais notícias
TOPO