ANP autoriza empresa suspeita a exercer atividade de revendedora de combustíveis

Na mesma semana em que foi nomeado um dos quatro diretores da Agência Nacional do Petróleo (ANP), em outubro deste ano, José Cesário Cecchi autorizou uma empresa já investigada por ilícitos no setor de combustíveis a ser um TRR (Transportador-Revendedor-Retalhista), uma espécie de posto itinerante, que, em geral, garante o abastecimento em locais onde não é possível a instalação de postos tradicionais.

A empresa Comtrol Comércio de Transportes e Cargas Ltda. recebeu o aval do recém-empossado diretor para exercer a atividade de TRR em Niterói, no Rio de Janeiro.

O principal sócio da empresa, Jorge Luiz Seixas Guinâncio, foi assassinado em 2000. Ele era acusado de ter relação com a chamada “Máfia do Óleo” ou “Máfia dos Combustíveis”, que roubava combustível de navios. Jorge Lambel, como conhecido, ainda aparece no quadro societário da companhia.

Fábio Guimarães Pinto Guinâncio, filho de Jorge e também sócio da Comtrol, foi denunciado em 2013 pelo Ministério Público do Rio de Janeiro em razão de uma explosão em um estaleiro administrado pela empresa que resultou na morte de três funcionários. À época, o MP identificou uma série de irregularidades estruturais, operacionais e administrativas na Comtrol.

Na ANP, ninguém consegue entender por que o novo diretor autorizou um serviço de TRR para essa empresa.

Diário Oficial de 13 de outubro

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Decio Oddone tem sorte com os empregos que arruma. Qdo tava na Petrobras, mesmo sendo funcionário de carreira, conseguiu comprar um bom apto em NY e agora, com o salário da ANP ainda consegue manter… oh vidão ne??

Ler mais 11 comentários
  1. Decio Oddone tem sorte com os empregos que arruma. Qdo tava na Petrobras, mesmo sendo funcionário de carreira, conseguiu comprar um bom apto em NY e agora, com o salário da ANP ainda consegue manter… oh vidão ne??

  2. A ANP ja fez pior. Autorizaou PANTERA DISTRIBUIDORA DE COMBUSTIVEIS do Parana a operar em nome do sócio ITALO BELON NETO, criminoso com grande histórico de sonegação e irregularidades no mercado nos ultimos 20 anos. ANP mantem autorização de empresas como ARROWS PETROLEO, TRIM DISTRIBUIDORA, MAC BRUN DERIVADOS, que são todas do mesmo grupo e umas das piores do país. ANP – agencia nacional da propina

  3. Pois é. Eles continuam a burlar e negociar conchavos. daqui há 50 anos, os netinhso dos procuradores de hoje e starão investigando estes crimes federais e lesivos ao país. Ou a cana endurece e a perda e punição é grande, ou ficaremos a ver a sujeira continuar.

  4. Isso daí é uma máfia… O Cecchi chegou ao posto na ANP por conta do diretor geral, Decio Oddone. Era do interesse dele. Esse Oddone é figura suspeitíssima. Trabalhou a vida na Petrobras, mas teve em tanta roubalheira que conseguiu grana pra apê em solo nova iorquino. Com certeza quem é ligado a ele tá metido também.

  5. O Cesário Cecchi entrou nesse cargo de diretor da ANP porque o Décio Oddone botou ele. Sabe-se lá o que mais ele levou, afinal, os vencimentos deveriam estar abaixo de um apartamento em NY como ele tem…

  6. Não precisa exagerar. Todo mundo sabe que Niterói tem postos de gasolina. Mas geradores não são levados ao posto para abastecer. Tem TRR em São Paulo, a cidade. E alguns milhares de geradores para serem abastecidos, OK.

  7. Na ANP, ninguém consegue entender por que o novo diretor autorizou um serviço de TRR para essa empresa, e em Niterói.
    Como diria “Robin: “-Ohh Batman, santa ingenuidade!!!! Quem irá explicar aos puros funcionários da ANP o que está acontecendo?”.