Instalada para Lula, antena da Oi está ociosa

O Antagonista também recebeu uma análise técnica de um engenheiro da Oi que participou do projeto de implantação da rede em São Paulo a partir de 2008.

Segundo ele, a diretriz da Oi sempre foi atender a área urbana, salvo raríssimas exceções, no caso, “quando há uma ordem expressa da diretoria da empresa para atender um cliente considerado VIP”.

Vejam o que ele diz:

“Pela análise da topologia da região, percebe-se que o objetivo principal do projeto foi atender o sítio Santa Bárbara e não outros empreendimentos da região, como o Clube da Montanha. Toda operadora busca a melhor viabilidade econômica. Quanto mais usuários ela atender, mais tráfego será demandado e o retorno será, consequentemente, maior. No caso do sítio, o tráfego gerado pelos usuários atendidos é ínfimo. Para se ter uma ideia, a capacidade média por setor (antena) são 45 Erl e o tráfego cursado não chega a 1 Erl, o que indica uma ociosidade enorme.”

“Não resta dúvida de que foi para atender a um cliente VIP.”

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200