Anvisa autoriza importação de 6 milhões de doses da Coronavac da China

Anvisa autoriza importação de 6 milhões de doses da Coronavac da China
Foto: EBC

A Anvisa acaba de autorizar a importação de 6 milhões de doses da Coronavac, vacina chinesa testada em São Paulo.

O imunizante virá da China, segundo acordo fechado entre o governo de São Paulo e a farmacêutica chinesa Sinovac.

“A solicitação foi feita pelo Instituto Butantã para importação, em caráter excepcional, de vacina adsorvida covid-19 (inativa), em estudo clínico fase III, ainda sem registro no Brasil. O tema foi discutido em Circuito Deliberativo, entre esta quinta e sexta-feira (22-23/10)”, disse a Anvisa, na decisão.

O acordo com a Sinovac prevê a compra de 46 milhões de doses da Coronavac. A decisão de hoje se refere às primeiras 6 milhões de doses. O restante será produzido no próprio Instituto Butantan, com insumos importados da China.

A importação desses insumos, no entanto, ainda não foi liberada. Segundo Dimas Covas, o assunto está emperrado na Anvisa.

As doses adquiridas pelo Instituto Butantan ainda não podem ser aplicadas na população. Na decisão do colegiado da Anvisa, o diretor-presidente Antonio Barra Torres destacou que o imunizante deverá ficar armazenado em São Paulo até que a agência ateste a eficácia e libere o registro da Coronavac.

“A utilização do produto ficará condicionada à obtenção de seu registro sanitário junto à Anvisa. Por oportuno, necessário esclarecer que a carga ficará sob a guarda do Instituto Butantan, seu fiel depositário, mediante termo de guarda específico pertinente, que deverá mantê-la em suas instalações e em perfeitas condições de acondicionamento, até que seja autorizada a utilização”, destacou Barra.

Leia mais: Vacina boa é a que funciona e ponto final.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 114 comentários
TOPO