Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Anvisa suspende uso e importação da proxalutamida, a 'nova cloroquina'

Agência também vai abrir investigações sobre o caso
Anvisa suspende uso e importação da proxalutamida, a nova cloroquina
Foto: Ascom/Anvisa

A Anvisa determinou na manhã desta quinta (2) a suspensão cautelar do uso e da importação da proxalutamida no Brasil. A informação foi revelada por O Globo nesta manhã e confirmada na tarde de hoje pela agência.

Segundo a Anvisa, “[a] decisão foi motivada a partir de diligências provenientes da Procuradoria da República no Rio Grande do Sul e diante da veiculação de notícias de condução de pesquisas com o uso de proxalutamida em seres humanos, as quais dão conta que unidades hospitalares e clínicas estariam usando o produto à base de proxalutamida à revelia dos estudos científicos aprovados pelo sistema CEP [Comitê de Ética em Pesquisa]/CONEP [Comissão Nacional de Ética em Pesquisa]”.

A Anvisa também criou dossiê de investigação, “com o objetivo de se obter mais informações acerca dos produtos à base de proxalutamida importados e utilizados no Brasil para a tomada de ações sanitárias, a fim de mitigar o risco para os usuários desses produtos, no que couber”.

A agência ainda disse que vai notificar “os serviços de saúde supostamente envolvidos na condução de pesquisas científicas com a substância proxalutamida no Brasil, a fim de contribuir no aprofundamento das investigações em andamento”.

Finalmente, a Anvisa vai instaurar processo administrativo sanitário “para apuração de possíveis infrações sanitárias decorrentes da apresentação, pelo importador, de documentos ou informações que tenham por objetivo induzir a Agência na anuência de importação irregular de medicamentos para uso em humanos”.

O grupo que promove a proxalutamida como opção para suposto tratamento da Covid é liderado pelo endocrinologista Flavio Cadegiani.

Leia mais:

MPF abre investigação sobre ensaio clínico com proxalutamida em hospital militar

Anvisa autoriza estudo com medicamento defendido por Bolsonaro contra Covid

“Delírio do capitão ex-cloroquina”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO