Anvisa: União Química vai fornecer mais dados antes de pedir autorização para Sputnik V

Anvisa: União Química vai fornecer mais dados antes de pedir autorização para Sputnik V
Foto: Sputnik/Assessoria de imprensa do RFPI

A União Química, que pretende fabricar no Brasil a vacina russa Sputnik V, vai fornecer novos dados à Anvisa antes de pedir novamente uso emergencial do imunizante, disse a agência nesta terça (23).

Anvisa, União Química e o Instituto Gamaleya, da Rússia, participaram hoje de uma reunião sobre o imunizante. Segundo a agência, a reunião durou cinco horas.

“A reunião também tratou da linha de produção da vacina na Rússia que precisa ser identificada no processo. A Anvisa já certificou a empresa, com base em um relatório da Turquia, para uma linha de outro produto farmacêutico. Porém, ainda não há indicação clara se esta linha já certificada seria a mesma utilizada para fabricação da Sputnik”, acrescentou a Anvisa, em nota.

A Anvisa rejeitou um pedido de uso emergencial da Sputnik V em 16 de janeiro. Em 3 de fevereiro, a agência abriu mão da necessidade de ensaios clínicos no Brasil para aprovar pedidos do tipo. Desde então, a União Química ainda não enviou novo pedido.

No fim de janeiro, inspeção da Anvisa mostrou que a União Química já produz o insumo da Sputnik V no Brasil, embora não ainda em escala industrial para uso humano.

Leia maisGoverno Trump atuou para Bolsonaro rejeitar Sputnik V

Leia mais: Quem são os diretores da agência que darão o veredicto sobre as vacinas a serem aplicadas nos brasileiros
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO