Apadrinhado de Cardozo obtém liminar para curso nos EUA

O ministro Napoleão Nunes Maia, do STJ, concedeu liminar para que o ex-presidente da Funai Flávio Chiarelli, apadrinhado de José Eduardo Cardozo, possa desfrutar, por um ano, de uma bolsa de estudos nos Estados Unidos, com salário integral pago pelo contribuintes.

A AGU tinha vetado o passeio, uma espécie de exílio de luxo para manter Chiarelli longe da CPI da Funai, na qual é investigado por decisões polêmicas sobre demarcações de terras.

Napoleão se posicionou favorável à viagem, que havia sido autorizada por JEC, mas ressaltou que Chiarelli deverá “atender às eventuais convocações e aos requerimentos oriundos da CPI”.

Quem pagará a passagem? Nós, claro.

Faça o primeiro comentário