Apertando o colarinho branco

O MPF em Curitiba considerou a decisão de ontem do STF “um importante marco na direção de uma Justiça Criminal efetiva em relação a réus de colarinho branco, que respeita os direitos fundamentais não só dos réus, mas também das vítimas e da sociedade”.

“A demora e a impunidade no julgamento de réus abastados são incompatíveis com uma justiça republicana, que deve absolver inocentes e punir culpados dentro de um tempo razoável”, acrescenta a nota divulgada há pouco.

Faça o primeiro comentário