ACESSE

Apoiador pede salvo-conduto para Weintraub no Supremo

Telegram

Um advogado do Rio pediu ao Supremo que Abraham Weintraub não seja processado pelos ministros por referir-se a eles como “vagabundos” na reunião ministerial de 22 de abril.

No pedido de salvo-conduto, Maurício Corrêa de Brito citou um artigo do Código Penal que exclui do crime de injúria o funcionário público que emite “conceito desfavorável [sobre alguém] em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício”.

Quer dizer que, para o apoiador, o ministro da Educação não fez mais que sua obrigação ao xingar os ministros e ainda dizer que, por ele, “botava todos na cadeia”.

“Ainda que se entendesse que somente os Ministros do Supremo Tribunal Federal pudessem ser ofendidos com o epíteto de ‘vagabundos’, esquece-se a Autoridade Coatora [Celso de Mello] de que o Paciente [Weintraub] também é servidor público, e encontra-se no mesmo grau, hierarquicamente falando, que os membros da Suprema Corte”, diz ainda o habeas corpus.

Na ação, Brito também argumentou que Celso de Mello foi incoerente, ao não ter apontado injúria de Jair Bolsonaro por ter chamado João Dória de “bosta” e Wilson Witzel de “estrume”.

O pedido de salvo-conduto foi enviado, por sorteio, para Cármen Lúcia.

Leia também:

Celso envia fala de Weintraub a demais ministros do STF

 

Leia também: Quais as chances de Bolsonaro ser afastado?

Comentários

  • Lilia -

    Esse Brasil, tirando a pandemia, está uma chanchada, um circo armado. Não escapa um dia sem que o forró levante poeira.

  • MARCO -

    E COMO FICA O ADVOGADO QUE MANIFESTOU VERGONHA AO STF PARA LEWANDOVSKY? CHAMAR OS COMPONENTES DO STF DE "VAGABUNDOS" E QUE "DEVERIAM ESTAR PRESOS" É OU NÃO É OFENSA MAIOR DO QUE MANIFESTAR VERGONHA???

  • PAULO -

    Um brasileiro IMPRESTÁVEL à solta! Processo na cabeça do "tampa", pra largar mão de ser besta! Não teve "berço", é incompetente, grosseiro e petulante. Igualzinho o chefinho pé de chinelo. Vixe!

Ler 24 comentários