Após Bolsonaro falar em “guerra química”, Pacheco articula visita de embaixador da China ao Senado

Após Bolsonaro falar em “guerra química”, Pacheco articula visita de embaixador da China ao Senado
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Rodrigo Pacheco (DEM-MG) encaminhou hoje um convite ao embaixador da China, Yang Wanming, para fazer uma visita ao Senado com o intuito de aprimorar “a parceria de grande qualidade que tem caracterizado nossas relações bilaterais”.

O presidente do Senado faz um aceno à China dois dias após Jair Bolsonaro ter afirmado que o coronavírus faz parte de uma “guerra biológica” encabeçada pelo país asiático.

“Com o sentido de prioridade, entende o Senado Federal que, no momento em que o Brasil tem sido afetado de forma contundente pela proliferação de variantes do vírus, torna-se necessário, mais do que nunca, o aprimoramento da parceria de grande qualidade que tem caracterizado nossas relações bilaterais”, disse Pacheco.

“Diante da crescente conscientização de nossas vulnerabilidades individuais frente a urgentes desafios como o combate à pobreza, a doenças e ao aquecimento global, precisamos de maior convergência entre nações e de uma configuração internacional voltada para maior cooperação. Disso decorre nosso firme propósito de ampliar a colaboração bilateral sino-brasileira em todos os terrenos: ciência, tecnologia, comércio, investimento. Esforço que requer diálogo ainda mais intenso e aprimoramento constante da coordenação e diplomática”, afirmou o parlamentar.

A visita, entretanto, ainda não tem data para acontecer.

Leia na íntegra a carta encaminhada por Rodrigo Pacheco ao embaixador da China

Diante dos desafios impostos pela pandemia global, dirijo-me a Vossa Excelência para reiterar a importância do relacionamento mutualmente relevante e construtivo com a República Popular da China. Com o sentido de prioridade, entende o Senado Federal que, no momento em que o Brasil tem sido afetado de forma contundente pela proliferação de variantes do vírus, torna-se necessário, mais do que nunca, o aprimoramento da parceria de grande qualidade que tem caracterizado nossas relações bilaterais.

Brasil e China tem grandes massas territoriais e populações. Temos, igualmente, fronteiras com grande número de países. Esses pontos de coincidência nos levam a adotar uma conduta externa responsável e construtiva. Diante da crescente conscientização de nossas vulnerabilidades individuais frente a urgentes desafios como o combate à pobreza, a doenças e ao aquecimento global, precisamos de maior convergência entre nações e de uma configuração internacional voltada para maior cooperação. Disso decorre nosso firme propósito de ampliar a colaboração bilateral sino-brasileira em todos os terrenos: ciência, tecnologia, comércio, investimento. Esforço que requer diálogo ainda mais intenso e aprimoramento constante da coordenação e diplomática.

Em nome do Senado Federal, gostaria, portanto, de formular convite a Vossa Excelência para realizar visita a esta Casa Legislativa, quando favoráveis estiverem as circunstâncias, de modo a adensar a parceria estratégica global entre nossos países.

 

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO