Após censura da CGU, ex-reitor da Ufpel diz que continuará fazendo críticas ao governo

Após censura da CGU, ex-reitor da Ufpel diz que continuará fazendo críticas ao governo
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ex-reitor da Ufpel Pedro Hallal afirmou que continuará fazendo críticas ao governo, mesmo diante da censura imposta pela CGU.

A declaração foi dada em entrevista a O Globo.

A CGU abriu um processo disciplinar contra ele e o professor Eraldo dos Santos por “manifestação desrespeitosa e de desapreço direcionada ao Presidente da República”.

Para que o processo de infração disciplinar fosse arquivado, eles concordaram em assinar um termo de ajustamento de conduta, se comprometendo a não repetir as críticas por dois anos.

Hallal diz ter certeza que, caso o processo fosse aberto, ele e Eraldo seriam absolvidos.

Nesse momento de exceção que vivemos, achamos mais prudente assinar o TAC e arquivar imediatamente o processo. Lembro de declarações, quase diárias, de membros do alto escalão do Governo Federal, que certamente se enquadram mais do que as minhas palavras no artigo.”

As declarações que motivaram o processo foram feitas durante transmissão na internet, nos canais oficiais da Ufpel no Youtube e o Facebook.

Na ocasião, Hallal afirmou:

“Nada disso estaria acontecendo se a população não tivesse votado em defensor de torturador, em alguém que diz que mulher não merecia ser estuprada ou no único chefe de Estado do mundo que defende a não vacinação da população.”

Leia mais: Pois é, nada mudou da esquerda para a direita.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO