Após pedido da Pfizer, Ministério da Saúde retira de site contrato com cláusula de confidencialidade

Após pedido da Pfizer, Ministério da Saúde retira de site contrato com cláusula de confidencialidade
Foto: x3/Pixabay

O Ministério da Saúde tirou de seu site oficial o contrato assinado com a Pfizer depois que a farmacêutica pediu. A reportagem foi publicada pela CBN nesta quarta (7).

Segundo a rádio, o contrato tem uma cláusula expressa de confidencialidade, que obriga o governo a manter algumas informações em sigilo pelos próximos 10 anos.

O contrato ficou no ar por pelo menos 10 dias. O Ministério da Saúde confirmou à rádio ter removido o documento do site depois que o laboratório pediu. A Pfizer não comentou.

A Pfizer confirmou em 19 de março ter assinado contrato com o Ministério da Saúde para fornecer 100 milhões de doses de vacina contra a Covid. A confirmação veio quatro dias depois de o então ministro Eduardo Pazuello ter dito que havia assinado o contrato.

Pelo extrato de dispensa de licitação publicado no Diário Oficial, o governo vai pagar cerca de R$ 5,6 bilhões, o que dá R$ 56,30 a dose.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO