Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Após resposta do STF, lideranças no Congresso vão tentar conter Bolsonaro

Integrantes de MDB, PP, PL e Republicanos pretendem atuar como bombeiros para tentar amenizar o desconforto entre ministros e o presidente
Após resposta do STF, lideranças no Congresso vão tentar conter Bolsonaro
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Lideranças da base do governo no Congresso Nacional pretendem conversar amanhã com Jair Bolsonaro para tentar conter a crise entre o presidente da República e o Poder Judiciário.

Ao longo do final de semana, Jair Bolsonaro intensificou os ataques contra o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, para defender a PEC do Voto Impresso. O presidente do STF, Luiz Fux, reagiu hoje e declarou que “harmonia e independência entre os poderes não implicam impunidade”.

Integrantes de MDB, PP, PL e Republicanos pretendem atuar como bombeiros para tentar amenizar o desconforto entre ministros do STF e Bolsonaro. O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), também vão fazer parte dessa espécie de força-tarefa para conter o ânimo entre os poderes.

A ideia é mostrar ao presidente da República que o Congresso vai precisar de um “clima harmônico” para conseguir avançar com a pauta econômica do governo, como a PEC dos Precatórios e a PEC do novo Bolsa Família. O novo programa social deve se chamar “Auxílio Brasil.”

O problema, porém, é o próprio Bolsonaro. Ele deu sinais hoje que não pretende dar trégua a Barroso e ao STF. Hoje, menos de uma hora após a mensagem de Fux, o presidente afirmou em uma solenidade que se o voto impresso não for implementado no Brasil, haverá uma fraude nas eleições de 2022.

Mais notícias
TOPO