Aposta certa

Segundo a Época, o advogado Flávio Calazans, que operava para o lobista de Renan Calheiros, também usava pequenas casas lotéricas de São Paulo para repasse de propina.

Coincidentemente, Lúcio Funaro era cliente de uma dessas lotéricas. Operador de Eduardo Cunha preso pela Lava Jato, Funaro apostou quase 1 milhão na Lotérica Central, ao longo de dois meses de 2013.

É melhor que jogar no bicho.